Os Elementos do jogo - Xadrez Para Todos

XADREZ para TODOS.com.br
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Os Elementos do jogo

Esporte > Material
 Os elementos do jogo.

O tabuleiro:


         PUBLICIDADE         
O tabuleiro de xadrez é um equipamento para a prática do xadrez, sobre o qual são dispostas as peças do jogo. No xadrez ocidental, o tabuleiro é de forma quadrada, sendo seus lados divididos em oito partes, perfazendo um total de sessenta e quatro subdivisões ou casas. As casas são dispostas em duas cores alternadas, branco e preto. Muitos materiais diferentes são usados para se confeccionar tabuleiros de xadrez como couro, mármore, marfim, vidro ou metal, assim o material de cor mais clara é considerado como branco e o de cor mais escura como preto. Atualmente é comum se utilizar outras cores como sendo a escura: verde, azul, etc...

Partes do tabuleiro são conhecidas por nomes especiais:
  • Fileira - as oito linhas horizontais do tabuleiro de xadrez são chamadas fileiras.
  • Coluna - as oito colunas verticais do tabuleiro são chamadas de colunas.
  • Diagonal - uma linha reta de casas da mesma cor em um ângulo indo de um lado do tabuleiro para outro lado do tabuleiro é chamado diagonal.
  • Centro - as quatro casas encontradas no meio do tabuleiro são chamados de centro.

Cada casa individual possui um nome de maneira que o registro dos movimentos do jogo pode ser mantido. Alguns sistemas de notação existem, mas a “notação algébrica” é o mais popular e é o sistema oficial da FIDE. Neste sistema, cada casa é nomeado de acordo com a linha e coluna em que a peça se encontra. As fileiras (linhas) são numeradas de 1 à 8 iniciando com o lado das peças brancas (claras) e movendo-se para o lado das pretas (escuras). As colunas são identificadas por letras em minúsculas de 'a' à 'h' da esquerda para a direita com base no ponto de vista do jogador das peças brancas. A casa é identificada pela letra seguida do número. Assim, a casa inferior mais à esquerda é conhecida como 'a1'. A estrutura de nomes pode ser vista no diagrama a seguir:




As peças:



Dois conjuntos de 16 peças cada um, sendo um de cor clara e o outro de cor escura. Peão (dezesseis), Cavalo (quatro), Bispo (quatro), Torre (quatro), Dama (duas), Rei (dois). Madeira, resina plástica, vidro, metal, outros são materiais utilizados para a confecção das peças. Existem inúmeros formatos de conjunto de peças, alguns para jogar outros para decorar. O conjunto considerado oficial para se jogar é confeccionado de madeira, seu rei tem tamanho de 10 cm de altura e a base das peças 5 cm de diâmetro.

Posição inicial das peças no tabuleiro:



Segue alguns conjuntos de peças. Se você "curte" conhecer ou coleciona conjuntos de peças, siga nossas publicações na seção deste website "VOCÊ SABIA?" ou em nossa página do FACEBOOK.

Conjunto Aslope:


Conjunto Colombiano:


Conjunto Jazzy:


Conjunto Temático Harry Potter (mármore):


Conjunto Temático Poseidon (metal):



O Relógio:

HistóriaAs primeiras soluções foram o uso de ampulhetas para controlar o tempo de cada jogador e o uso de secretárias que faziam o mesmo controle, mas logo ficou claro a necessidade de uma maneira confiável de controlar o tempo.

O primeiro relógio mecânico foi criado por Thomas Bright Wilson no Reino Unido, e foi usado pela primeira vez no Torneio de Londres de 1883. Consistia, basicamente, de dois relógios comuns unidos por uma alavanca e dois botões, de forma que quando um botão fosse acionado, o relógio sob ele parasse de contar o tempo, começando a contagem de tempo no outro relógio. A flag ou "bandeira" foi inventada pelos holandeses.

No início da década de 70, com a invenção do microchip e do relógio digital, o primeiro relógio digital de xadrez foi desenvolvido por Bruce Cheney, um estudante de engenharia da Universidade de Cornell.

Controles de tempoO controle de tempo ou ritmo do jogo é a maneira com que o relógio será relacionado à partida. O controle mais comum é o de "morte súbita", onde os jogadores tem um determinado tempo para efetuarem seus lances. Outros controles de tempo para xadrez rápido podem incluir 40/20+20/10, onde os jogadores tem 40 minutos para fazer seus primeiros 20 lances e, se não ocorrer morte súbita neste período, terão mais 20 minutos para fazer seus próximos 10 lances. A Fide chama de xadrez rápido a qualquer jogo em que os jogadores recebem menos de 60 minutos inicialmente.

Relógio analógico ou relógio mecânico é o relógio de xadrez que contém no seu interior dois relógios mecânicos comuns, conectados com uma alavanca em balanço, acionada por dois botões. O jogador faz o seu lance e aperta o botão sobre o relógio que está contando o seu tempo para pará-lo e iniciar a contagem de tempo do oponente.

O fim do tempo de um jogador é marcado pela queda de uma bandeira ou flag ou flecha, termo usado no Brasil. É um pequeno ponteiro vermelho próximo do número "12", e que é acionado pela passagem do ponteiro dos minutos. Em jogos que os jogadores tenham mais de uma hora de jogo, o ponteiro dos minutos pode passar mais de uma vez na flecha, mas o acerto do relógio é feito de tal forma que se o tempo do jogador terá terminado quando o ponteiro das horas estiver marcando 6 horas.



Relógio digital de xadrez é um dispositivo eletrônico único, feito para contagem de tempo de jogo. No relógio digital a contagem é, normalmente regressiva, ou seja, o display do relógio mostra exatamente quanto tempo o jogador ainda tem de jogo, o final do tempo normalmente sendo sinalizado apenas por um sinal visual, e não sonoro.

O advento do relógio digital permitiu um controle de tempo mais preciso, principalmente para os ritmos alucinantes de "xadrez ping", onde cada um tem menos de 15 minutos de tempo para todos os lances (Apêndice C-Xadrez Relâmpago- da Regra da FIDE). Permitiu também o advento de uma outra modalidade de contagem de tempo, o relógio com atraso, ou relógio com "delay", onde o jogador recebe um bônus de tempo por lance.



Relógios aditivos: Os relógios aditivos ou relógios com delay dão ao jogador um bônus de tempo por lance. Existem dois tipos de relógios aditivos, o Fischer e o Bronstein.

Relógio Fischer: O campeão mundial americano de xadrez Bobby Fischer patenteou um tipo de relógio de xadrez, em que cada jogador recebe um bônus de tempo por lance. Basicamente, é programado um bônus, geralmente de alguns segundos, e cada vez que um jogador completa seu lance, acionando o relógio, o bônus de tempo é acrescido ao tempo restante. Um jogador que faça lances em menos tempo que o bônus de tempo poderá, depois de algumas jogadas, ter mais tempo restante do que o tempo concedido inicialmente.

Relógio Bronstein: O campeão mundial soviético de xadrez David Bronstein criou um outro tipo relógio de xadrez com bônus de tempo. Em vez do jogador receber um bônus após fazer o lance, o bônus é descontado antes do tempo regular. Assim, se o bônus de tempo for de 30 segundos, depois de acionado o relógio o tempo do jogador só vai começar a correr realmente depois de esgotado o bônus de tempo para aquele lance. Se o jogador fizer o seu lance durante o bônus de tempo, então nenhum tempo é descontado do tempo restante daquele jogador - mas também não é acrescido nenhum tempo. Assim, um jogador que faça seus lances sempre durante o tempo de bônus, continuará tendo o tempo que foi concedido no início do jogo.

Qual é a diferença entre os Métodos Fischer e Bronstein?
Resposta: O método Fischer proporciona aos jogadores tempo adicional para cada lance executado, que é devidamente acrescentado ao tempo principal.
Exemplificando: se o ritmo é de 30 minutos (tempo principal) com bônus de 10 segundos para cada lance, sempre que o jogador fizer um lance receberá mais 10 segundos, que automaticamente são acrescentados ao seu tempo principal.
Isso significa que, se o jogador fizer 5 lances rapidamente, 50 segundos extras serão acrescentados ao seu tempo principal e com isso, depois dos 5 lances, terá mais tempo do que dispunha quando começou a partida.
No método Bronstein os jogadores também ganham tempo adicional. Mas a acumulação de tempo não é possível e o jogador pode perder parte do bônus de tempo.
Exemplificando: se o primeiro lance for jogado depois de 4 segundos, os outros 6 (segundos) serão perdidos. Ou seja, no andamento da partida o jogador nunca terá mais tempo do que possuia no início da partida. Não há acumulação como acontece no método Fischer.

A planilha ou súmuls:



Tem o objetivo de registrar todas as informações da partida. Tem um formato específico e personalizado para cada organizador da partida, seja uma entidade federativa, etc... Vamos citar a forma de registrar/anotar os lances da partida.

Notações de xadrez

O sistema de notação de partidas oficial adotado pela FIDE é o sistema de notação algébrica abreviada. Anteriormente também era utilizado o sistema de notação descritiva que caiu em desuso. No sistema descritivo os lances simétricos têm a mesma notação, o que frequentemente causava erros de notação durante os torneios enxadrísticos. A FIDE recomenda ainda que em livros e revistas sobre enxadrismo seja adotado o sistema de notação algébrica figurativa, no qual cada peça é representada por um ícone, o que possibilita o entendimento universal do transcorrer das partidas.

Sistema Algébrico

Como é visto nos diagramas abaixo, divide-se o tabuleiro em oito linhas horizontais numeradas de 1 a 8, a começar do lado em que estiver o jogador que conduz as peças brancas, e em 8 colunas verticais identificadas pelas letras a a h (sempre minúsculas!), a começar da esquerda e indo para a direita do jogador de Brancas. Cada uma das peças é indicada pela inicial maiúscula (para não confundir com as letras indicativas de colunas) de seu próprio nome, deste modo: Cavalo, Bispo, Torre, Dama e Rei. Os peões não precisam ser indicados. Indica-se a jogada da seguinte maneira: primeiramente escreve-se a letra que representa a peça jogada, depois a coordenada da casa na qual ela foi colocada, coluna e linha, nesta ordem.

Sistema Algébrico é o método utilizado para identificar as casas no tabuleiro e registrar partidas.


A casa g5 identificada no tabuleiro de xadrez por meio do sistema algébrico.


Sistema Descritivo

A notação descritiva dá a cada casa um nome e as peças recebem o nome de suas iniciais, incluindo o peão. É importante dizer que nessa notação o tabuleiro é dividido em duas partes ou "alas": uma do rei e outra da dama. As fileiras são numeradas a partir de cada jogador. Difere da notação algébrica porque nesta existia uma única ordem numérica (a partir das brancas). O nome da coluna e o número da fila indicam a casa para a qual a peça se moveu, sendo o lance das brancas designado numericamente do lado das brancas e o das pretas, da mesma forma, como já foi explicado anteriormente.

A grande diferença entre a notação algébrica e a descritiva é que algébrica, cada casa tem seu nome, e isso nunca muda, entretanto, na descritiva, para as brancas a casa tem um nome e para as negras ela tem outro. Outra diferença é que na notação descritiva só se escreve com letra maiúscula, ao contrário da notação algébrica.
 
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal